domingo, 24 de agosto de 2008

#9

Eu corria sem parar. Tentando não olhar para trás. Estava cansada.
Meu fôlego desaparecia aos poucos e a cada instante meu corpo reclamava mais daquilo tudo. Já não estava aguentando, mas não podia parar. O vento gelado me invadindo, o sol ardendo. E eu corria, sem pensar. Eu precisava esquecer.
Os problemas que haviam me perseguido a vida toda agora estavam atrás de mim. Cobrando o atraso. Cada vez mais depressa, estavam quase me alcançando.
E eu não podia parar.
Isso começou a me cansar. Não aguentava mais me esconder. Não adiantava mais mesmo. Pensei que fugir deles não adiantaria, uma hora me pegariam na esquina. E parei.
Num impulso, virei-me para eles, de peito aberto. Mas nada aconteceu.
Apenas uma brisa veio em minha direção.
Então retomei meu caminho. Estava mais leve.
Já não me sentia mais sendo perseguida, já não devia mais nada a ninguém. Agora eu andava. Pude reparar nas cores da paisagem. Nos sabores e aromas. Nas pessoas. Estava bem e de consciência tranquila.
E quando menos esperava, na esquina, encontrei-me comigo mesma.

Um comentário:

Thiago Martins disse...

Após + D 50 comentários. finalmente posto o meu primeiro.
Agora o blog está D +. E ganha notoriedade para mim.
Aproveitando a brecha... [...] Brisa leve, tão suave, doce Espírito...
Deus está mais perto do que todos pensam... inclusive na brisa acalmadora de nossas vidas...

- mudando o assunto -
Minh'alma chora de alegria por ver que duas garotas pensam!
então somos três pensantes!
* mas cuidado com isso... pois podemos mudar o mundo... e pra melhor...
então vamos mostrar aos outros como pensar... e filosofar... e qdo soubermos mesmo... amar de verdade!

Bacii a tutti voi.